Texto escrito por José Estevam Gavinhato então Diretor de Cultura em Mauá em 1997, cidade do grande ABC, contando a história do jovem Luciano Queiroz (Luke Ross) no mundo dos Quadrinhos foi publicada no Jornal de Mauá em 22 de abril de 1997 e temos aqui a honra de publica-la 23 anos depois como inspiração para o jovem da periferia que sonha em ser um quadrinista. 


Luciano Queiroz lança suas teias pelo mundo


há dez anos um menino de Mauá entrava para o Senai, na esperança de se tornar ferramenteiro e trabalhar em alguma grande empresa da região do ABC, como era o sonho da grande maioria dos garotos de família operária. Passados três anos, diploma, saiu batendo nas portas das empresas, recebendo um monte de "nãos". Como é a realidade do jovem da periferia.


Luke ROSS - Spectacular Spider-man #253, pgs 2 & 3


Decidiu então exercitar uma habilidade da infância, o desenho artístico. Em 1991, começou a trabalhar como desenhista de histórias em quadrinhos para a Turma do Arrepio. No ano seguinte, fazia uma minissérie para um estúdio dos Estados Unidos e acabou contratado. Quarto anos depois a Marvel Comics. maior editora de quadrinhos dos EUA, estava com um problema com o Homem Aranha. As vendas caíram por conta de uma mudança no personagem, a Saga do Clone, que tornara as histórias monótonas. Foi ai que entrou nosso menino. Convidado pela Marvel Comics, ele desenhou a primeira parte da nova história do Homem Aranha, fazendo modificações que devolveram ao herói o antigo uniforme e o sucesso. 

Hoje Luciano Queiroz, 24 anos, morador de Vila Magini, desenha as histórias do Homem Aranha que já foram publicadas em todo mundo e já foi matéria principal de diversas revistas especializadas no gênero.

Imagine como é o processo de criação quando o roteiro é escrito nos Estados Unidos e o desenhista dos quadrinhos mora no Brasil, Luciano Queiroz, que assina Luke Ross, recebe o original da história escrito página por página e tem que desenvolver os desenhos respeitando técnicas "cinematográficas" como ângulos de abordagem, iluminação e expressões dos rostos, tendo às vezes que desenhar pessoas se entreolhando com expressões distintas, ou animais selvagens em movimentos dos mais variados, Concluído o desenho é mandado para a Marvel Comics.

Star Wars by Luke Ross

Muitas vezes um artistas pinta um único quadro durante meses, anos de trabalho, Luciano Queiroz produz em média 130 quadros por mês, pois cada quadrinhos do gibi do Homem Aranha (edição mensal com 23 páginas)é uma obra de arte e ele tem de entregar uma página com uma média de seis quadrinhos, todos os dias.

Esse trabalho exige do artista muita atenção e percepção de tudo o que ocorre no mundo real para poder traduzi-lo na prancheta, Nesta atividade Luciano é um mestre.

Aliás, a atividade de desenhista de histórias em quadrinhos é pouco reconhecida e valorizada no Brasil. Na Europa ela é tratada como arte, Além de Luciano Queiroz, outros artistas brasileiros produzem obras para revistas em quadrinhos no exterior. Durante muito tempo por exemplo, o paraibano Deodato Borges fez os desenhos da Mulher Maravilha, do Thor e do Hulk.

Redes sociais:

https://www.facebook.com/lukerossoficial/

https://twitter.com/LukeRossMarvel


Matéria do Jornal de Mauá de 30/01/2004